Anúncios

Inscreva-se no meu canal

LIÇÃO 10 - AS PROFECIAS DESPERTAM E TRAZEM ESPERANÇA

 

Texto Áureo: Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo Ap 1.3
Leitura Bíblica em Classe: Jeremias 1.4-10; Joel 1.1-3; Apocalipse 1.1-3

Introdução: Todos os profetas que Deus levantou, principalmente na Antiga Aliança tinha o propósito de que falassem ao povo e às autoridades o que eles precisavam ouvir, como também corrigir os seus procedimentos para com Ele. A missão não era fácil, pois a maioria das profecias era para denunciar o pecado e predizer as suas consequências. Lembrando que todos os profetas eram usados especificamente pelo Espírito Santo, sendo alguns dotados de dons espirituais, como o de curar; ressuscitar; ter visões; sonhos; revelações predizendo o futuro, como foram os profetas escatológicos, citando alguns como Isaías; Jeremias; Ezequiel; Daniel; Zacarias. Esses são alguns, mas tem mais. Deus se fez conhecer mais e mais através dos profetas, como também os usou constantemente para admoestar Israel uma nação de dura cerviz. Com a completude da Bíblia o ofício de profeta na dispensação da graça, está voltado somente aos que pregam a palavra de Deus com a inspiração do Espírito Santo. 
1. O NOSSO CHAMADO JÁ É PREDESTINADO ANTES MESMO DE NASCER.
Jeremias 1.4  Assim veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Jeremias 1.5  Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta.
Ser predestinado antes de nascer se explica pela presciência de Deus entendendo que Ele possui todo o conhecimento de tudo o que está por vir e certamente irá acontecer. Na Sua presciência Deus sabe antes do homem vir a existir, se ele vai ter a propensão para crer nele e aceitá-lo, como também os que nunca vão crer nele como Deus, ou aceitá-lo. Embora Deus saiba de antemão, Ele nunca interfere diretamente na decisão que o homem vai tomar, pois isso é uma questão do livre arbítrio de cada um. Aqui no caso de Jeremias temos esse exemplo em que está envolvida a presciência divina, quando fala com ele a respeito do seu chamado profético para uma missão muito difícil, mas que tinha a garantia de sucesso na responsabilidade que lhe foi dada. Aqui com Jeremias não foi o caso de querer aceitá-lo, pois ele já servia ao Senhor como sacerdote no templo, portanto já servia ao Senhor, só que o chamado para ele não foi o sacerdócio e sim o ministério profético. 
2. NÃO PODEMOS HESITAR QUANDO DEUS NOS CHAMA PARA UM OFÍCIO.
Jeremias 1.6  Então disse eu: Ah, Senhor Deus! Eis que não sei falar; porque ainda sou um menino. Jeremias 1.7  Mas o Senhor me disse: Não digas: Eu sou um menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar, falarás.
Jeremias foi certamente surpreendido com a sua chamada profética, pois sabia da grande responsabilidade e das consequências terríveis que se defrontaria, pois o sacerdócio e os religiosos estavam em declínio e o rei de então também fazia o que não era reto aos olhos de Deus. A princípio Jeremias hesitou quanto ao seu chamado, porém mostra a ele que seus vasos não tem idade e quando ele comissiona não é para tentar dissuadi-lo e sim dizer como Isaías: eis-me aqui, envia-me a mim. A alegação de Jeremias de ser jovem para tal ofício, era sobre o falar com as autoridades e que estas pela sua idade não lhe dessem atenção e ser desprezado por eles. Deus também o encoraja lhe dando as garantias que seria com ele em todos os momentos para que os seus propósitos fossem bem sucedidos e contínuos. Jesus deu essa garantia para a sua igreja que envolve todos os que o servem dizendo: eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos.
3. TEMOS QUE TER CONFIANÇA NO CHAMADO POIS DEUS NOS CAPACITA.
Jeremias 1.9  E estendeu o Senhor a sua mão, e tocou-me na boca; e disse-me o Senhor: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca; Jeremias 1.10  Olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares, e para derrubares, e para destruíres, e para arruinares; e também para edificares e para plantares.
Jeremias com o ofício de sacerdote era logicamente um conhecedor das escrituras sagradas o que é essencial para exercer o ministério profético e nesse caso Deus o iria capacitar para o ofício que lhe foi designado. Essa garantia dada por Deus o encorajou tirando dele toda hesitação. Quando Deus tocou na sua boca, Deus está dando a autoridade na palavra e a ousadia necessária para o ofício espinhoso que lhe foi atribuído. Convém sempre que a mensagem divina seja entregue em suas próprias palavras, para que seja entregue como ele quer e não como o homem quer. Quem maneja a palavra com fidelidade não terá em momento algum as instruções que o momento requerer. No seu ofício deveria sempre diante de qualquer situação falar poderosamente, demonstrando ter a autoridade de Deus para tal. Ele é posto sobre as nações não para governante, mas sim como um profeta pelo poder da palavra de Deus. Jeremias abraçou com responsabilidade o ofício dado por Deus obedecendo os mandamentos propagando a mensagem, cumprindo assim os propósitos divinos, não temendo qualquer reação contrária, seja do povo, das autoridades religiosas e dos governantes. Qualquer ofício a qual o Senhor nos designar a exercer, por mais espinhoso que seja, temos que confiar que Deus é fiel e nos confirmará e nos guardará do maligno.
4. DEVEMOS DISCERNIR AS PROFECIAS SE É PASSADA OU APOCALÍPTICA.
Joel 1.1  PALAVRA do Senhor, que foi dirigida a Joel, filho de Petuel. 2  Ouvi isto, vós anciãos, e escutai, todos os moradores da terra: Porventura isto aconteceu em vossos dias, ou nos dias de vossos pais? 3  Fazei sobre isto uma narração a vossos filhos, e vossos filhos a seus filhos, e os filhos destes à outra geração.
Deus usou o profeta Joel dentro do período contemporâneo, como também em profecias apocalípticas, sendo assim é necessário ter o cuidado para interpretar as duas situações para não cairmos em erros doutrinários. Embora não tenhamos uma data precisa ou aproximada dos eventos catastróficos que assolaram as terras de Judá e Jerusalém, o que dá para entender pelas circunstâncias é que aconteceu no período pré-exílio antes de Judá ir para o cativeiro babilônico. A questão dos gafanhotos a qual cita o livro, embora alguns entendem como um acontecimento literal, pode ter uma contradita, pois não é observado quanto ao cerco dos soldados babilônico por quase um ano e meio onde se aquartelaram pelas terras de Judá consumindo todos os alimentos como se fossem gafanhotos. O profeta conclama o povo ao arrependimento para que um dia pudessem ter uma restauração do que foi perdido e que esse juízo fosse relatado aos filhos e a sua posteridade. Este foi o cenário passado, pois daqui em diante o cenário é para futuro, ou seja envolve a escatologia bíblica. O profeta fala de uma restauração e restituição para Israel, mas não mais naqueles tempos e sim para um tempo futuro, que aponta para o reino milenar. Fala também do derramamento do Espírito Santo sobre toda a carne, o que também aponta para o reino milenar. A igreja recebe esse derramamento de uma forma preliminar, mas não sobre toda carne, pois nem todos aceitam, como tem os que rejeitam, ou dizem que foi só no Pentecoste. Esse derramamento trata-se do batismo com o Espírito Santo e só no reino milenar é que será de uma forma totalitária. Fala dos juízos divinos com prodígios nos céus e também de castigo sobre as nações inimigas, o que aponta para o período da grande tribulação e indica também a grande batalha do Armagedon. Fala também da restauração de Israel e a reconciliação desse povo com Cristo, algo que ainda não aconteceu, mas vai acontecer no final da grande tribulação. 

5. ATENTEMOS PARA ESSA REVELAÇÃO FOI DADA POR CRISTO E, É REAL.
Apocalipse 1.1  REVELAÇÃO de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo; Apocalipse 1.2  O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto. Apocalipse 1.3  Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.
Em Amós 3.7 Certamente o Senhor Jeová não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas. Com a completude das Escrituras Sagradas tudo que Deus tinha que revelar no tocante a escatologia, já está revelado e não há mais o que revelar. Se alguém imagina que Deus vai revelar o dia da parousia, está muito enganado, pois será um acontecimento súbito que pegará muitos de surpresa. Alguns uma grande surpresa e outros uma péssima surpresa. A fonte da revelação do apocalipse foi Deus o supremo revelador, sendo que o Filho é o que leva a revelação aos homens, no tempo kairós mostrando aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer. Essa revelações é o cumprimento absolutamente certo dos propósitos divinos e não serão alteradas, pois Deus vela sobre a sua palavra para as fazer cumprir. Deus também disse que passarão os céus e a terra, mas as minhas palavras não passarão, pois ela permanecerá para sempre. O momento do arrebatamento é algo oculto em Deus e Ele já tem esse momento determinado e marcado, o que significa que só resta ao cristão estar diuturnamente preparado para este dia. Como está escrito dentro de uma trilogia: ler a palavra, ouvir a palavra e guardar a palavra, pois estamos na iminência da sua vinda conforme as profecias revelam que o tempo está próximo. 


Esboço e Comentário elaborado exclusivamente pelo texto bíblico da lição.
Pastor Adilson Guilhermel

 

OS LUGARES PONTILHADOS NESTE MAPA MUNDIAL INDICA ONDE O SITE É VISITADO

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Páginas

BOTÕES SOCIAIS