domingo, 29 de março de 2020

O NOVO HOMEM EM JESUS CRISTO

 Lição 13: O Novo Homem em Jesus Cristo
Texto Áureo: “Até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo.” (Ef 4.13)
Leitura Bíblica em Classe: João 3.1-16
Introdução: Para ser um novo homem em Jesus Cristo é essencial estar envolvido em um processo constante de aperfeiçoamento espiritual. Isso exige uma preparação doutrinária eficiente, a qual só apresentará resultados quando o doutrinado apresentar sintomas de maturidade espiritual. Esse trabalho doutrinário exige líderes aptos e instruídos na preparação dos discípulos para o trabalho do reino visando a edificação do corpo de Cristo. Os cristãos crescem quando se alimentam da pura Palavra de Deus e  isso acontece quando os líderes são fiéis à vocação para servir dedicadamente, com vistas à edificação do corpo de Cristo, de modo que a verdadeira unidade e crescimento espirituais acontecerão quando ministrados com conhecimento e sabedoria da Palavra.
1. Para ser o novo homem, necessariamente é preciso ir em busca da verdade.
João 3.1- E havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, príncipe dos judeus. João 3.2- Este foi ter de noite com Jesus e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és mestre vindo de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.
A duas hipóteses sobre Nicodemos ter ido ter com Jesus à noite. Ou não queria ser visto pelos do seu círculo, ou ir num momento de menos tumulto. O que levou Nicodemos até Jesus foi saber que Ele fazia milagres extraordinários que nenhum mortal tinha como realizar. Isso provocou em Nicodemos um forte sentimento de curiosidade, o qual queria explicações sobre essas coisas que ele não entendia. Mas algo ele já estava entendendo, que Jesus para operar esses sinais, só poderia ser por um íntimo relacionamento com Deus. Os anseios espirituais de Nicodemos não seriam como ele esperava nesse diálogo com Jesus, pois na realidade ele ia saber que sofria de uma grande cegueira espiritual. (Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 2 Coríntios 4:4)
2. Para ser o novo homem, o velho precisa morrer, para  o novo poder nascer.
João 3.3- Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus. João 3.4- Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura, pode tornar a entrar no ventre de sua mãe e nascer?  
Sobre o novo nascimento, Jesus estava se referindo ao nascimento espiritual, para um homem que não conseguia pensar além do nascimento físico. A realidade é, quem não passa por esse novo nascimento está condenado ao juízo final. Todo ser humano passou pelo nascimento biológico, o qual envolve a parte carnal, mas nem todos sabem que são um espírito (invisível) e não o corpo de carne (visível). A bíblia diz que o corpo volta ao pó e o espírito volta a Deus, que o deu. Quando se diz que o espírito volta a Deus, significa que Ele vai dar o destino a esse espírito; ou leva para o céu, ou envia para o sheol, onde fica reservado para o juízo final, onde será sentenciado ao sofrimento eterno no inferno.
3. Para ser o novo homem, é crer na palavra para o Espírito dar vida espiritual.
João 3.5- Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espirito não pode entrar no Reino de Deus.  João 3.6- O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espirito é espirito. João 3.7- Não te maravilhes de ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
Nicodemos esperava ouvir tudo, menos o que ouviu e por mais sábio que era sendo um mestre da lei acabou ficando confundido diante das palavras de Jesus. Para o nascimento biológico é preciso a participação de dois pais, sendo que no momento da concepção um espírito é gerado por Deus, o qual se encarna nesse corpo biológico. Acontece que esse corpo físico já nasce com a natureza pecaminosa de Adão e portanto esse espírito mortificado pelo pecado precisa ser vivificado. Então a questão do nascer de novo envolve a vivificação do nosso espírito e isso só acontece diante de uma decisão individual de cada um de querer esse novo nascimento. A condicional para que esse ato venha a acontecer é somente através de uma entrega total a Cristo, o qual através do seu sangue realiza o ato de expiação removendo o pecado da natureza adâmica. Esse ato expiatório é operado pelo Espírito Santo, o qual fará uma limpeza que executa a lavagem da regeneração pelo poder da palavra simbolizada aqui pela água. Essa lavagem pela água da Palavra também simboliza limpar todos os vestígios do velho homem, para que seja uma nova criatura em Cristo Jesus. É preciso entender que Nicodemos só poderia ter essa experiência, após o sacrifício de Cristo na Cruz.
4. Para ser o novo homem, não nos comandamos mais e sim o Espírito Santo.
João 3.8- O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito. João 3.9- Nicodemos respondeu e disse-lhe: Como pode ser isso? João 3.10- Jesus respondeu e disse-lhe: Tu és mestre de Israel e não sabes isso?
Nicodemos tinha uma visão de que a lei mosaica era algo eternizado e que jamais se tornaria obsoleta. É lógico que estamos nos referindo às leis cerimoniais que os judeus, principalmente os fariseus procuravam seguir a risca. Jesus neste diálogo com Nicodemos está procurando fazê-lo entender que a partir do novo nascimento todas as leis cerimoniais não seriam mais seguidas. Isto porque, a partir da vivificação do nosso espírito passamos a ser regidos por leis espirituais escritas não em tábuas de pedras, mas sim em nosso coração. Como espíritos vivificados temos um guia enviado por Cristo para nos conduzir pelos caminhos da verdade. Todos os que são guiados pelo Espírito, estes são filhos de Deus.
5. Para ser o novo homem,  temos que sair das crenças terrenas para a celestial.
João 3.11- Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que vimos, e não aceitais o nosso testemunho. João 3.12- Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais? João 3.13 – Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do Homem, que está no céu.
Quantos através dos tempos já perderam a oportunidade de conquistar a vida eterna com Cristo, simplesmente pela obsessão de seguir uma religiosidade vinda de uma tradição familiar. Nicodemos teria que quebrar essa tradição, ou seja a tradição da lei que já estava se findando, se quisesse ser um novo homem em Cristo. Se o homem permanecer irredutível em suas tradições e não quiser conhecer novas verdades, estará na realidade selando o seu destino para o castigo eterno. O evangelho leva a verdade que todos devem aceitar se quiserem a vida eterna, pois o conteúdo do evangelho é Cristo e a sua mensagem de salvação é a justificação pela fé. Cristo desceu do céu se encarnando para nos revelar a vontade de Deus para nossa salvação e quem cre e receber o batismo espiritual será salvo e quem não crer, será condenado.
6. Para ser o novo homem, é só olhar para Cristo, ele tem o antídoto do pecado.
João 3.14 – E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, João 3.15 – para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3.16- Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Não existe e nunca existiu alguém que possa ter o antídoto que venha curar essa doença na alma, que é o pecadoQuando Israel transgrediu no deserto provocou o juízo de Deus, que por conseguinte enviou serpentes ardentes que os picavam levando muitos a morte. Com a intercessão de Moisés, Deus mandou que fosse fundida uma serpente de bronze presa a uma haste e que fosse erguida e assim, todos que olhassem para ela seriam curados. Quando se transgredia a lei, as suas maldições seriam como serpentes ardentes, que revelavam ali, os sinais da ira de Deus. A serpente de metal como tipo de Cristo, era um objeto sem vida; Jesus nos deu vida; sem pecado; Jesus se pecado por nós; sem maldição; Jesus se fez maldito por nós. Jesus como a revelação do tipo fez tudo isso por nós e tudo movido pelo grande amor do Deus Pai, que deu essa dádiva para a humanidade, o Seu Filho Unigênito para rasgar a célula que era contra nós dando a oportunidade sem acepção de pessoas de alcançarem a vida eterna. 
Pastor Adilson Guilhermel

JESUS, O HOMEM PERFEITO

Lição 12: Jesus, o Homem Perfeito
Texto Áureo: “E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.” (Lc 2.52)
Leitura Bíblica em Classe: Lucas 2.40-52

Introdução: Jesus ainda menino teve um desenvolvimento progressivo, tanto físico, intelectual e espiritual, num sentido contínuo, pois não havia nele o impedimento pelo pecado, quer herdado ou adquirido. Mesmo tendo sido despojado de todo seu poder, para que realizasse a sua obra salvífica como homem, Ele mantinha uma perfeita harmonia envolvida num amor sem limitação com o Seu Pai e uma coisa que não ocultava de ninguém, era a sua intimidade com o Deus Pai. Jesus sendo fisicamente judeu aos doze anos de idade, assim como toda criança judaica deveriam ter conhecimento do Pentateuco para que na transição da infância para a idade adulta, já assumissem o jugo da lei e isso ele alcançou com pleno conhecimento. Esse conhecimento juntado com a sabedoria foi notório na sua conversa com os doutores da lei.
1. O verbo se fez carne e cresceu tanto no aspecto físico, intelectual e espiritual.
Lucas 2.40 – E o menino crescia e se fortalecia em espirito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.
Jesus cresceu no sentido físico como toda criança normal, como também mantendo uma comunhão com o Pai celeste, ele já exercitava a sua espiritualidade. Ele também se aplicou no conhecimento do pentateuco, como também nos demais livros da antiga aliança, o que era necessário para encher-se de sabedoria, que é a revelação do conhecimento, para chegar a condição de Mestre. Uma mente sem pecado tem condições muito melhores de obter profundos conhecimentos, pois tem uma conexão espiritual com o Espírito Santo.
2. Ele cumpriu os mesmos deveres religiosos dos adultos desde a sua infância.
Lucas 2.41 – Ora, todos os anos, iam seus pais a Jerusalém, à Festa da Páscoa. Lucas 2.42 – E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
A lei obrigava todos os homens judeus, a ir a Jerusalém três vezes ao ano para participar de três grandes festas; a Páscoa; o Pentecostes e a do Tabernáculo. Aqui no caso, José e Maria haviam ido na festa da Páscoa, a qual comemorava a libertação de Israel do Egito. Embora a lei não obrigasse as mulheres a participarem podemos ver que Maria estava sempre presente nestas peregrinações ao Templo. Vemos que Jesus na sua tenra idade também seguia com os seus nessa longa caminhada em direção ao templo, já cumprindo assim por vontade própria os mesmos deveres religiosos dos adultos na participação dessa festa, a qual tinha o simbolismo dele próprio, ou seja, o cordeiro pascoal.
3. Ficando sem os pais, Ele desejava dar a primeira indicação da obra a realizar.
43 – E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o souberam seus pais. Lucas 2.44 – Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia e procuravam-no entre os parentes e conhecidos. Lucas 2.45 – E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.
O menino Jesus, não focava somente a festa da páscoa, pois era algo que já estava com os dias contados quanto ao seu encerramento lá na cruz. Na realidade a sua preocupação maior era estar de alguma forma mostrando com muita sabedoria a obra que tinha a realizar. Mas para que Jesus pudesse debater com as autoridades religiosas de Jerusalém, ele precisava de desvencilhar de José e Maria e ficar para trás sem que eles percebessem, a fim de realizar os seus propósitos a respeito dos negócios do seu Pai.
4. Ele estava cheio do conhecimento e tinha resposta para todos que o inquiriram. 
Lucas 2.46 – E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. Lucas 2.47- E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.
Jesus ao contrário de outras crianças que preferiam brincar entre elas e quem vive brincando não aprende nada procurou a companhia daqueles que podiam acrescentar os seus conhecimentos e Ele também buscava a melhor parte. Quem busca e anseia pelo conhecimento deve associar-se com aqueles que podem instruí-lo, pois que deseja a instrução só tem coisas boas a acrescentar na sua vida para um futuro promissor. Ele tanto tinha a humildade de perguntar, com também de responder as perguntas que os doutores da lei lhe faziam. Na realidade Jesus deu a esses doutores da lei que se admiravam das suas respostas, um dose de sua sabedoria e de seu conhecimento das revelações da lei. Após esse evento Jesus se recolheria em Nazaré até quando já com os seus trinta anos desse início oficialmente a sua missão sacrificial.
5. Ainda menino, era perfeitamente cônscio da relação entre Ele e o Pai celestial.
Lucas 2.48 – E, quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu, ansiosos, te procurávamos. Lucas 2.49 – E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai? Lucas 2.50 – E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia. Lucas 2.51 – E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no coração todas essas coisas. Lucas 2.52 – E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.
Os seus pais após terem andado por caminho de um dia é que se deram conta de o menino Jesus não estava entre eles e quando retornam ficam surpresos e admirados de encontrar o menino Jesus entre os doutores, não em pé, mas assentado com eles, o que era um grande privilégio. Sua mãe tenta censurá-lo amorosamente por toda situação preocupante que o menino Jesus lhe causaram, mas prontamente ele retrucou no sentido de que ficou para realizar algo para o Seu Pai Celestial, pois essa missão preliminar antes de ir para a obscuridade se fazia necessária, pois diante daqueles líderes religiosos, ele estava tratando dos negócios do seu Pai aqui na terra. Nenhum negócio para nós deve preceder os negócios do nosso Pai Celestial, pois os outros negócios não pode ser mais prioritários que este. O crescimento de um jovem, não deve só em estatura, mas também em conhecimento das coisas divinas, como fez Jesus. 
Pastor Adilson Guilhermel

O HOMEM DO PECADO

Lição 11: O Homem do Pecado
Texto Áureo: E, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda.” (2 Ts 2.8)
Leitura Bíblica em Classe: 2 Tessalonicenses 2.1-15
Introdução: O homem do pecado, ou o iníquo, na realidade se trata do anticristo, o qual é nada menos que o segundo na hierarquia satânica, na qual Satanás é o primeiro. Homem do pecado, porque ele é o disseminador disso por todo o mundo, o qual espalha esse mal como um vírus terrível na humanidade sem Cristo. Ele é tão propagador deste mal, que incansavelmente e com grande poder influenciador e persuasivo consegue enganar até os escolhidos levando-os a se contaminar novamente com esse mal chamado pecado. Ele entrará em cena fisicamente na ocasião do arrebatamento da Igreja, como um líder político de grande influência e habilidade que estará governando um bloco poderoso, constituído de dez nações da Europa, conforme foi revelado a Daniel sobre os dez dedos da estátua do sonho de Nabucodonosor. Os dez dedos da estátua indicam os dez países que irão se aliar ao anticristo formando assim um governo totalitário que dominará o mundo de então.
1. O anticristo em todo tempo dissemina equívocos quanto à vinda de Cristo.
2 Tessalonicenses 2.1- Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e pela nossa reunião com ele, 2 Tessalonicenses 2.2 – que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espirito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de Cristo estivesse já perto.
Pregar sobre a vinda de Cristo requer conhecimento para evitar equívocos. Essa questão estava acontecendo com os cristãos de Tessalônica, onde indivíduos leigos no assunto, mas com linhas de pensamento totalmente equivocadas procuravam persuadir os irmãos nesse tema levando-os ao erro. Com isso muitos irmãos levados ao erro por esses falsos mestres entendendo que a vinda de Jesus era por aqueles tempos e, em decorrência disto alguns deixavam de trabalhar para o seu sustento causando com isso um problema social com a igreja. Outros irmãos ainda influenciados pelos falsos ensinos entendendo que a vinda do Senhor era para aqueles tempos e como o tempo ia passando com alguns cristãos falecendo e isso não acontecia, então começaram a duvidar da mensagem dos missionários de que Jesus breve viria. Ignoravam que Jesus quando disse que breve viria, o disse no tempo kairós e não no tempo chronos. Quem não domina esse assunto com profundidade teológica, não deve se atrever a entrar nesse tema, pois pode levar muitos ao erro, o que é extremamente nocivo para a igreja.
2. O anticristo trabalha continuamente introduzindo a apostasia no meio cristão.
2 Tessalonicenses 2.3 – Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, 2 Tessalonicenses 2.4 – o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.
No período contemporâneo já havia alguns casos de apostasia, mas não com a intensidade destes últimos tempos da igreja na terra. Mesmo porque, está se falando não de uma apostasia local, mas de uma apostasia geral, a qual tem aumentado assustadoramente em nossos tempos, onde é visto por toda parte em alguma denominações religiosas. E isso tem acontecido com a prática de doutrinas falsas e corrupções, que causam grandes escândalos no meio evangélico, com mais explicitude no movimento neopentecostal. Podemos dizer que Deus se entroniza no meio da igreja que o adora em espírito e em verdade, mas nas que usam de enganos levando o povo a uma espécie de apostasia, quem se entroniza é satanás, pois a palavra diz que ele se manifesta como anjo de luz. E como estamos vivendo esses tempos, é preciso levar uma vida de acordo com a palavra, para não ficar como vômito.
3. O anticristo não fisicamente já opera desde o início da dispensação da graça.
2 Tessalonicenses 2.5 – Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco? 2 Tessalonicenses 2.6- E, agora, vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. 2 Tessalonicenses 2.7- Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que, agora, resiste até que do meio seja tirado;
O homem do pecado ainda incorpóreo se presta através dos tempos em disseminar o pecado por todo o mundo incessantemente. Tanto que tem conseguido êxito em seus intentos de alastrar esse mal de uma forma incontrolável. Porém ele não se contenta apenas em propagar esse mal pelo mundo secular, mas também no meio evangélico, pois o seu ódio maior é com a igreja do Senhor Jesus Cristo. O seu nome sugere isso, pois sendo o anticristo, ele age ferozmente contra tudo o que é de Cristo aqui na terra rugindo como um leão procurando tragar todos os seguidores do Senhor. Quem resiste contra a sua manifestação corpórea aqui na terra é o Espírito Santo com a igreja, mas na ocasião do arrebatamento, o Espírito sobe com a igreja levando-a à Cristo e, é a partir daí que o anticristo estará em forma corpórea assumindo o governo no mundo, onde terá início a grande tribulação.
4. O anticristo na tribulação surgirá num corpo físico e enganará quase a todos.
2 Tessalonicenses 2.8 – e, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda; 2 Tessalonicenses 2.9 – a esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais, e prodígios de mentira, 2 Tessalonicenses 2.10 – e com todo engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. 2 Tessalonicenses 2.11- E, por isso, Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira, – para que sejam julgados todos os que não creram a verdade; antes, tiveram prazer na iniquidade.
Com a partida da igreja da terra, o homem do pecado se revelará promovendo grandes misérias e tormentos no mundo e só será detido nos seus feitos dominadores no final da tribulação, quando Cristo descer no plano terreno para confrontá-lo e vencê-lo. Em nossos tempos existem muitos falsos profetas que são extremamente prejudiciais ao evangelho da graça, isso porque conseguem conquistar muitos com as suas heresias e o pior é que o povo em grande maioria dá mais atenção aos profetas falsos, do que aos verdadeiros. Mas na grande tribulação, já sem a igreja na terra, também haverá muitos falsos profetas e Deus permitirá que esse povo seja enganado, pois ficaram na terra, por não darem ouvidos aos verdadeiros profetas.
5. O anticristo só poderá desenrolar seus planos quando a igreja deixar a terra.
2 Tessalonicenses 2.13 – Mas devemos sempre dar graças a Deus, por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espirito e fé da verdade, 2 Tessalonicenses 2.14 – para o que, pelo nosso evangelho, vos chamou, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo. 2 Tessalonicenses 2.15 – Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa.
Deus nos elegeu, pois na Sua presciência, já sabia de antemão que tinhamos propensão para aceitá-lo em algum momento da nossa vida, ou pelo amor, ou pela dor. Desse modo nos libertamos do reino das trevas e passamos para o reino da luz, onde é condicional que vivamos em santificação, levando uma vida não por vista, mas pela fé, pois sem fé é impossível agradar a Deus e nos guiando pela palavra da verdade. É dessa forma que estaremos sempre prontos para subitamente, ou por óbito, ou pelo arrebatamento possamos galgar as dimensões celestiais. Quem ficar estará a mercê do anticristo e com o destino selado para toda a eternidade no lugar de tormento. Quem tem ouvidos para ouvir ouça o que o Espírito Santo diz a Igreja. 
Pastor Adilson Guilhermel

sexta-feira, 6 de março de 2020

SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA

Lição 10: Só o Evangelho Muda a Cultura Humana
Texto Áureo: “Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir ao Deus vivo e verdadeiro.” (1 Ts 1.9)
Leitura Bíblica em Classe: 1 Tessalonicenses 1.1-10

Introdução: Segundo os dicionários; cultura significa um complexo de fatores ligados ao conhecimento; as artes; as crenças; a lei; a moral e uma infinidade de hábitos e aptidões adquiridos pelo ser humano, tanto no âmbito familiar, como também na sociedade onde todos estão incluídos. As nações gentílicas que foram evangelizadas e mais intensamente pelo Apóstolo Paulo tinham respectivamente as suas culturas que podem abranger vários segmentos culturais diferenciados de lugar para lugar. Com o evangelho pregado as coisas começaram mudar nessas nações gentílicas, pois os que abraçavam a fé cristã abandonavam as suas culturas seculares que eram opostas a palavra de Deus e começaram a desenvolver uma nova cultura, a qual era a cultura da fé em Cristo totalmente diferenciada daquelas em que eles estavam mergulhados.

1. A cultura humana não pode fazer parte dos que saíram para fora do mundo.
1 Tessalonicenses 1.1- Paulo, e Silvano, e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses, em Deus, o Pai, e no Senhor Jesus Cristo: graça e paz tenhais de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
Os tessalônicos foram a princípio doutrinados por judeus que seguiam a lei de Moisés e, essa doutrinação tinha fácil aceitação, pois havia uma grande comunidade judaica habitando nesse lugar. Isso perdurou por longo tempo, até que missionários cristãos encabeçados pelo Apóstolo Paulo começaram a evangelizar o povo com grande ousadia e obtiveram grande êxito conquistando muitas almas para o reino de Deus fundando por ali a igreja dos tessalonicenses. Muitas dessas almas convertidas a Cristo pela pregação do evangelho passaram a crer nos princípios da religião revelada pelos missionários e assim deixaram uma cultura idólatra e pagã e se voltaram dos ídolos para Deus. (Portanto, meus amados, fugi da idolatria. 1 Coríntios 10:14).
2. A cultura humana não podem fazer parte dos que praticam as obras da luz.
1 Tessalonicenses 1.2 – Sempre damos graças a Deus por vós todos, fazendo menção de vós em nossas orações, 1 Tessalonicenses 1.3 – lembrando-nos, sem cessar, da obra da vossa fé, do trabalho do amor e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai, 1 Tessalonicenses 1.4 – sabendo, amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus;
O apóstolo Paulo satisfeito com o empenho dos seus missionários realizado com os irmãos em Cristo de Tessalônica dava graças a Deus pelos resultados que alcançavam naquele lugar. A obra realizada ali exigiu muita fé e perseverança desses missionários, visto que tiverem que enfrentar perseguições por parte daqueles que não admitiam que a sua cultura em vários segmentos fosse ameaçada pela propagação do evangelho e, pela conversão de muitos tessalônicos que se converteram a Cristo. Com o trabalho doutrinário com os conversos, eles passaram a se afastar da cultura profana que inundava aquela cidade e isso para os defensores em manter essa cultura era inaceitável e daí, essa perseguição. Mas o trabalho perseverante e ousado desses irmãos foi elogiado pelo apóstolo, o que os incentivava a continuar a obra. O incentivo encheu o coração dos missionários de alegria, pois entenderam que os membros da igreja de Tessalônica receberam a palavra da salvação, pois eram eleitos de Deus e portanto preparados para resistir a toda perseguição que sobreviesse contra eles. (Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos. Salmos 126:6).
3. A cultura humana não pode fazer parte de quem busca viver uma vida santa.
1 Tessalonicenses 1.5 – porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espirito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós.
Os tessalônicos receberam o verdadeiro evangelho sem qualquer tipo de falsificação, pois ali havia também os inimigos da fé que tentavam minar a consciência desse povo para um outro meio de salvação, principalmente realizado pelos judaizantes. Porém os missionários liderados pelo apóstolo Paulo, expressavam em sua conduta uma confiabilidade e autenticidade na mensagem evangelística. Isso foi fundamental para que houvesse uma aceitação do evangelho com alegria, ao ponto de não haver qualquer resistência e abandonar a cultura idólatra que praticavam passando assim a servir o Deus vivo. Havia também em Tessalônica muitos pregadores mercenários daquela época com propósitos de ganhar dinheiro a custa de enganos com as pessoas ignorantes. Porém os pregadores do verdadeiro evangelho foram movidos pelo Espírito Santo a pregar a palavra com grande poder e os tessalonicenses não resistiram a palavra aceitando de bom grado tanto a mensagem como os mensageiros.
4. A cultura humana não pode fazer parte dos fiéis imitadores do Senhor Jesus.
1 Tessalonicenses 1.6 – E vós fostes feitos nossos imitadores e do Senhor, recebendo a palavra em muita tribulação, com gozo do Espírito Santo, 1 Tessalonicenses 1.7 – de maneira que fostes exemplo para todos os fiéis na Macedonia e Acaia.
Os novos conversos entendendo que os missionários eram verdadeiramente homens de Deus, não apenas aceitaram o evangelho pregado, com também procuraram imitar a vida deles. Assim, deixando toda cultura voltada ao paganismo e ao mundanismo esses irmãos passaram a ser perseguidos, pois quem não permanecia na cultura deles tornavam-se seus inimigos. Desse modo deixando os ídolos que faziam parte da cultura dos tessalonicenses provocaram a ira de amigos, parentes e na própria casa. Isso foi predito por Cristo quando ensinou que não veio trazer paz, mas espada e os inimigos estariam dentro da própria casa, com filho contra pai, pai contra filho e assim por diante. É bom lembrar que a perseguição é permitida por Deus, pois é uma forma de testar a nossa fé e a nossa fidelidade para com Ele.
5. A cultura humana não pode fazer parte de quem serve o Deus vivo e verdadeiro.
1 Tessalonicenses 1.8 – Porque por vós soou a palavra do Senhor, não somente na Macedonia e Acaia, mas também em todos os lugares a vossa fé para com Deus se espalhou, de tal maneira que já dela não temos necessidade de falar coisa alguma; 1 Tessalonicenses 1.9 – porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir ao Deus vivo e verdadeiro 10 – e esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura.
O evangelho pregado em Tessalônica foi objetivo, puro e simples, sem necessidade de introduzir qualquer tipo de cultura com similaridade mundana para a obra evangelizadora que estavam realizando. O evangelho puro e simples é o que segue o modelo da igreja primitiva, ou seja, nos primórdios, onde eles oravam, louvavam e pregavam a sã doutrina. Esse é o verdadeiro modelo a ser seguido, onde não há a introdução de culturas mundanas nos cultos prestados ao Senhor. Hoje temos visto escancaradamente a cultura similar da música mundana introduzida no louvor; a cultura das simpatias místicas como ponto de fé; a cultura do cerimonialismo judaico introduzida nos cultos; a cultura humorística para o povo gargalhar nos cultos; a cultura do teatralismo nas prédicas para mexer com o emocional do povo; cultura da política introduzida nos cultos e outras mais. Tudo isso é condenável pela Palavra de Deus, mas muitos que não tem temor nem tremor com as coisas de Deus acabam dando lugar para o Diabo agir com a liberdade que ele gosta, pois esse tipo de cultura introduzido no meio cristão propicia ao maligno os seus intentos.

Pastor Adilson Guilhermel

O PRIMEIRO PROJETO DE GLOBALISMO

Lição 9: O Primeiro Projeto de Globalismo
Texto Áureo: “Por isso, se chamou o seu nome Babel, porquanto ali confundiu o SENHOR a língua de toda a terra e dali os espalhou o Senhor sobre a face de toda a terra.” (Gn 11.9)
Leitura Bíblica em Classe: Gênesis 11.1-9
Lição 9: O Primeiro Projeto de Globalismo
Texto Áureo: “Por isso, se chamou o seu nome Babel, porquanto ali confundiu o SENHOR a língua de toda a terra e dali os espalhou o Senhor sobre a face de toda a terra.” (Gn 11.9)
Leitura Bíblica em Classe: Gênesis 11.1-9

Introdução: Existem muitas linhas de pensamento em relação ao primeiro projeto do globalismo, que no caso de Babel se tratava de uma ideologia dominante com todo o povo da época seguindo os mesmos ideais impostos por uma liderança já estabelecida e atuante. Comentar sobre os aspectos históricos, datas, genealogias é interessante como informações, mas algo que muitos têm omitido é quanto às forças ocultas que movimentavam esse projeto ambicioso e de cunho totalmente maligno. Não se pode esquecer que pesava sobre Satanás uma sentença de que teria sua cabeça pisada pela semente da mulher, ou seja, perderia o governo que conquistou derrotando Adão. Nesse caso, Satanás focou objetivamente impedir o nascimento da semente da mulher para não ser derrotado perdendo o governo conquistado. Essa semente se tratava da encarnação de Cristo, que com a Sua vitória ao consumar o sacrifício na Cruz do Calvário tomaria o seu governo. Nestes últimos dias da Igreja na terra, o vaticano já tem ensaiado o sistema ecumenico, fato este que se dará na primeira metade das grande tribulação, que se prolongará até os seus meados. Neste meado da grande tribulação o Anti-Cristo destruirá todo clero papal e assumirá a totalidade governamental incluindo o sistema religioso, como também promoverá um domínio global forçado quando procurará marcar os indivíduos com o sinal da besta.
1. O primeiro projeto do globalismo intencionavam se emanciparem de Deus.
Gênesis 11.1- E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala. Gênesis 11.2- E aconteceu que, partindo eles do Oriente, acharam um vale na terra de Sinar; e habitaram ali. Gênesis 11.3- E disseram uns aos outros: Eia, façamos tijolos e queimemo-los bem. E foi-lhes o tijolo por pedra, e o betume, por cal.
A linhagem da família de Noé se multiplicou rapidamente e não se espalharam pelas terras como seria o que se previa. Ao invés disso eles se concentram em só lugar e já com uma liderança levantada foram persuadidos a edificação de um grande projeto de edificar uma obra arquitetônica de extrema grandeza. Não havendo pedras para construções, eles optaram em fabricar tijolos de argila usando o betume como liga, o que propicia uma agilidade no erguimento da edificação, pois esse material era farto naquela região. Para o bem, ou para o mal, os homens quando estão unidos num só propósito podem produzir grandes realizações sejam elas benignas ou malignas. Nesse caso se tratava de uma obra maligna com pretensões de uma emancipação de Deus, pois já se julgavam auto suficientes para tudo.
2. A emancipação tinha por objetivo omitir o Senhor dos seus planos e metas.
Gênesis 11.4- E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.
Essa emancipação objetivava omitir a presença de Deus nos seus planos de auto-sustentação, com um recado de que não precisavam dele, pois iriam seguir com os seus projetos e objetivos por conta própria. Era uma obra com uma finalidade desafiadora contra Deus, pois envolvia um projeto globalista de unidade concentrada, como também pela altura da torre, estariam se protegendo de outro dilúvio, como se dissessem para o Senhor: se inundar a terra de novo, nós subimos na torre e não vamos nos afogar. Certamente também a torre seria um centro de paganismo, onde adoravam deuses para demonstrar a sua religiosidade, o que seria uma abominação diante de Deus. Deus havia ordenado que os homens se espalhassem pela terra, mas não atentaram em obedecer a voz divina.
3. Quem elabora planos e metas intencionais ignora que Deus não está inativo.
Gênesis 11.5- Então, desceu o SENHOR para ver a cidade e a torre que os filhos dos homens edificavam; Gênesis 11.6- e o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm uma mesma língua; e isto é o que começam afazer; e, agora, não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer. Gênesis 11.7- Eia, desçamos e confundamos ali a sua língua, para que não entenda um a língua do outro.
Satanás agiu no período antediluviano para corromper toda a humanidade daquele período e com isso provocaria a ira de Deus no sentido de que todos fossem destruídos. Ele quase conseguiu, mas havia um fiel remanescente que não se corrompeu, que era Noé com a sua família. Desta vez agora Satanás projeta o globalismo para ter todos unidos num só propósito, sem nenhum Noé para atrapalhar os seus planos e tendo incutido nesse povo uma emancipação de Deus, ele sabia que isso iria provocar a Sua ira, ao ponto de que destruísse a todos, como foi no dilúvio, sem sobrar nenhum remanescente fiel. Satanás ignorou, que ninguém pode manipular a vontade de Deus, pois os pensamentos dos homens, não são os pensamentos de Deus e os pensamentos de Deus não são os pensamentos dos homens. Deus criou e continua cuidando e tanto pode recompensar, como também castigar e como não dormita e não dormitará o guarda de Israel, Ele está sempre presente, julgando os atos humanos, seja certo ou errado. E para fazer cair por terra os planos de globalismo de Satanás, Deus quebrou a unidade dos homens, unidade essa que os fortalecia e confundiu a língua de todos dividindo-os em grupos para não se juntarem novamente. Deus nunca está inativo e tudo que o homem faz não prospera se o afrontar.
5. Quem afronta a Deus sofrerá a ruína resultantes da sua rebelião contra Ele.
Gênesis 11.8 – Assim, o SENHOR os espalhou dali sobre a face de toda a terra; e cessaram de edificar a cidade. Gênesis 11.9- Por isso, se chamou o seu nome Babel,
porquanto ali confundiu o SENHOR a língua de toda a terra e dali os espalhou o SENHOR sobre a face de toda a terra.
A situação de toda a humanidade poderia ter tomado um rumo diferente, se eles tivessem obedecido a ordem divina de se espalharem pela terra. Nesse caso não haveria a confusão de línguas e todos poderiam falar e se comunicar na mesma língua. Deus agiu de pronto e pôs término ao projeto ambicioso dos homens, se tivessem obedecido a vontade de Deus todo esse sacrifício de tolo poderia ter sido evitado e o juízo não viria sobre eles e estariam contando sempre com as bênçãos divinas. A unificação das línguas só acontecerá no reino milenar, que estará sob o governo de Cristo junto com a Sua Igreja glorificada.
Pastor Adilson Guilhermel.

Faça suas compras online aqui no Magazine Luíza - Clique no Banner para acessar o site da loja