ADSENSE

O INÍCIO DA CIVILIZAÇÃO HUMANA

Lição 8: O Início da Civilização Humana
Lições Bíblicas do 1° trimestre de 2020 – CPAD | Classe: Adultos
Texto Áureo: “E conheceu Caim a sua mulher, e ela concebeu e teve a Enoque; e ele edificou uma cidade e chamou o nome da cidade pelo nome de seu filho Enoque.” (Gn 4.17)
Leitura Bíblica em Classe: Gênesis 4.1-16
Introdução: A primeira dispensação, ou seja, a da inocência finalizou-se com a entrada do pecado no mundo, que veio através de Adão o qual desobedeceu um único mandamento ordenado por Deus. A partir daí, tem início uma nova dispensação, a da consciência, onde começa a multiplicação da Raça Humana com o nascimento de Caim e Abel. Em cada dispensação, a qual sempre é um novo início, o homem fica sujeito a testes devendo obedecer a certas condições impostas por Deus, para a manutenção de estar, ou num caminho certo na condição de salvo, ou no caminho errado, na condição de não salvo. A condição de estar no caminho certo ou errado é totalmente pessoal, pois o homem foi dotado do direito de escolha no caminho que deve seguir, pois Deus não interfere na escolha do homem, apenas mostra o caminho e as condições para estar nele. Nesse início da civilização humana, o homem, agora caído, começou a multiplicar-se em uma geração dividida entre uma sociedade ímpia e uma sociedade crédula. Assim estas duas sociedades se separaram seguindo os seus próprio caminhos, mas não deixaram de se entrechocar, em uma luta incessante entre o bem e o mal através dos tempos. No período de cerca de dois mil anos antes do dilúvio o pecado prevalece de tal forma que ao final desta dispensação da consciência só restou Noé a esposa e os três filhos com as suas mulheres.
1. Com o pecado instalado, o primeiro casal começa a gerar o início da civilização.
Gênesis 4.1- E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu, e teve a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um varão.  Gênesis 4.2- E teve mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.
A ordem de Deus na questão da multiplicação da raça humana para encher a terra começou a ser cumprida pelo casal caído no pecado. Os primeiros resultados desta ordem divina vieram com o nascimento dos dois primeiros filhos, Caim que significa possessão e Abel que significa vaidade, sendo que o nome Caim lembra que a vida vem de Deus e o de Abel nos diz que a vida é breve e isso se cumpriria nele próprio. Como quase nem todos têm a mesma vocação, o primeiro que foi Caim se dedicou a agricultura e o segundo que foi Abel se dedicou a criação de ovelhas provavelmente quando atingiram a idade adulta. As duas ocupações eram igualmente importantes e, até aí, tudo bem, pois refletem uma diferença de interesses entre os dois irmãos, mas não o caráter que nem sempre está explícito, mas oculto. O caráter explícito já diz o que a pessoa é, mas o oculto em algum momento pode ser revelado e geralmente de uma forma trágica.
2. Neste início foram gerados dois filhos, cada um com personalidades diferentes.
Gênesis 4.3 – E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Gênesis 4.4- E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta.
Os dois irmãos ainda sem uma aparente rivalidade entre eles, em determinado dia achegaram-se a Deus com ofertas voluntárias como atos de adoração. Caim apresentou ao Senhor a sua oferta com os frutos da terra e Abel apresentou a sua oferta com o melhor que ele tinha para oferecer, que foi os primogênitos das suas ovelhas e a sua gordura. Como é observado Caim ofereceu ao Senhor uma parte qualquer da sua produção, ao contrário de Abel que ofereceu o melhor parte das primícias. O Senhor diante das duas ofertas atentou para a de Abel rejeitando a de Caim e, isso vem demonstrar que  o Senhor não olha para a oferta, mas para o coração do ofertante. Isso indica que Abel estava com o coração totalmente voltado em adoração ao Senhor, ao contrário de Caim, que o fez de qualquer maneira. Deus só recebe o melhor e o melhor que Ele recebe é um coração cheio de fé voltado com a devoção devida do qual é digno.
3. Dentre as diferenças de personalidade a primeira mostra um instinto homicida.
Gênesis 4.5- Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o seu semblante. Gênesis 4.6- E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Gênesis 4.7- Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti? E, se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e para ti será o seu desejo, e sobre ele dominarás.
Com o tempo a personalidade de Caim é revelada quando Deus não atentou para a sua oferta e, este ao invés de procurar saber o porque para se corrigir e não repetir o mesmo erro, ele dominado pelo ciúme do irmão encheu-se de fúria, já com instinto homicida. Quando o Senhor corrige é para que aceitemos a correção e procuremos fazer a coisa certa, sem deixar que nenhum sentimento contrário venha nos dominar. Quando isso não acontece o pecado fala mais alto e, é a oportunidade que o Diabo busca para persuadir o indivíduo cheio de ira a avançar na sua obsessão homicida até chegar às vias de fato a fim de tirar a vida daquele que acha que é seu oponente. O Senhor coloca diante dos homens a vida e a morte, a bênção e a maldição como também dá a retribuição justa de acordo com a conduta de cada um. A responsabilidade é pessoal, pois todos são dotados de um princípio inteligente para discernir o certo do errado e nesse caso ninguém fica inescusável diante do Senhor por aquilo que pratica. Se a conduta de cada um está de acordo com as condicionais estabelecidas pelo Senhor, a sua vida estará debaixo das suas bênçãos que revelam a Sua benevolência. Quando cumprimos fielmente as condicionais divinas nunca deixaremos de estar debaixo das suas misericórdias.
4. Quem tem instinto homicida não aceita perder e não consegue resistir ao mal.
Gênesis 4.8 – E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel e o matou. Gênesis 4.9- E disse o SENHOR a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do meu irmão? Gênesis 4.10 – E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra.
Apesar das advertências ditadas por Deus a Caim, para conter os seus impulsos de fúria, isso não foi o suficiente para detê-lo nos seus propósitos bárbaros. Certamente os dois mantinham um relacionamento de amizade, o que proporciona para Caim manter em oculto os seus sentimentos de perversidade e desse modo Abel não viesse a suspeitar das más intenções do seu irmão contra ele. Assim dominado por um ciúme doentio ele deu oportunidade ao Diabo para incitá-lo de tal maneira que acabou executando o seu irmão. A frivolidade de Caim ao negar diante de Deus o seu ato desumano revelava a natureza egoísta da maldade que tinha praticado, negando assim a essência da lei do amor. Nada escapa aos olhos de Deus, tanto os feitos bons, como os feitos maus e isso é algo ignorado por muitos, pois ninguém que pratica uma maldade, ficará impune.
5. Quem não consegue resistir ao mal sofrerá a consequência da sua atrocidade.
Gênesis 4.11- E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue do teu irmão.Gênesis 4.12 – Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e errante serás na terra. Gênesis 4.13 – Então, disse Caim ao SENHOR: É maior a minha maldade que a que possa ser perdoada. Gênesis 4.14 – Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua face me esconderei; e serei fugitivo e errante na terra, e será que todo aquele que me achar me matará.  Gênesis 4.15 – O SENHOR, porém, disse-lhe: Portanto, qualquer que matar a Caim sete vezes será castigado. E pôs o SENHOR um sinal em Caim, para que não o ferisse qualquer que o achasse. Gênesis 4.16 – E saiu Caim de diante da face do SENHOR e habitou na terra de Node, da banda do oriente do Éden.
Quem tem uma índole maldosa, com o tempo tem uma cauterização mental e quando pratica algo horrendo como foi o caso de Caim, não tem consciência da dimensão dos seus atos e foi preciso Deus insuflar nele um pouco de consciência para se dar conta da sua horrenda atitude bárbara. Apesar de estarem totalmente sós no momento do assassinato, sem a presença de qualquer testemunha que só poderiam ser os seus pais, Caim não imaginou que tudo que fez foi observado por alguém que tudo vê e que pune, o qual é Deus, pois a sua justiça atua sobre tudo e sobre todos e ninguém pode escapar das suas mãos. O sangue inocente derramado infectou o solo, que não produziria nada com abundância e, com isso Caim haveria de trabalhar duro e suar muito para conseguir os seus resultados. Adão e Eva tiveram outros filhos e filhas após esse incidente fatídico e, com o tempo ao chegarem à idade adulta teriam conhecimento dessa atrocidade, o que geraria neles um sentimento de ódio e vingança sobre Caim. Desse modo ele seria caçado pelos homens ficando exposto à morte a qualquer momento. Porém Deus tomou providências para que isso não acontecesse e para garantir isso, foi posta uma marca em Caim indicando que estava sob a proteção divina. Caim deixou a presença de Deus indo para a terra de Node, que significa perambulação ou vagueação. Assim acontece quando as pessoas abandonam a presença de Deus, pois quem não vive na presença de Deus, na realidade está vagueando sem qualquer destino. Agora com relação aos justos estamos vagueando como forasteiros e peregrinos, mas a nossa peregrinação tem um destino certo, o qual é as dimensões celestiais.
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

A QUEDA DO SER HUMANO

Lição 7: A Queda do Ser Humano
Texto Áureo: “Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram.” (Rm 5.12)
Leitura Bíblica em Classe: Gênesis 3.1-7

IntroduçãoAdão e Eva, sendo o primeiro casal e que deles viria toda a humanidade, caso não pecassem, todos nasceriam sem pecado, mas como pecaram, toda a humanidade também carrega a sua natureza pecaminosa. Sem o pecado todos seriam eternos fisicamente, mas com o pecado, também veio a morte e, em consequência disso a morte tornou-se uma experiência universal. Satanás como um habilidoso enganador conseguiu mudar o início da história humana, o qual teve êxito em promover o pecado original que acarretou a morte física e espiritual ao todo ser humano, pois todos sem distinção são herdeiros da natureza pecaminosa de Adão. Assim todos terão que enfrentar por causa do pecado o castigo que é comum a todos os seres humanos, o qual é a morte.
1.  Cuidado, Satanás pode agir na mente de alguém para alcançar seus intentos.
Gênesis 3.1 – Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?
Satanás após perder o governo do céu espacial, não se deu por vencido na sua sede de poder, sendo assim viu uma oportunidade de voltar a governar, não mais no céu celestial, mas agora no céu atmosférico, onde Adão havia recebido o governo da terra. Sabedor por experiência própria que o pecado contra Deus pode resultar em exoneração, ele sabe que se conseguir induzir Adão em pecar provocando a sua queda, o governo passaria para a sua posse, pois dentro de uma lógica, quem ganha assume o posto do derrotado. Embora Satanás sendo detentor de um grande poder, ele não poderia tomar o governo de Adão pela força, pois somente se esse pecasse é que perderia o governo. Nesse caso, Satanás precisaria usar de grande habilidade para alcançar seus intentos, que só surtiria efeito, se Adão pecasse sem ser forçado, mas de livre e espontânea vontade e, esse pecado seria imputado, pois ele tinha recebido um mandamento de Deus a respeito de não comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Satanás disfarçado numa serpente discerniu que se fosse direto em Adão que tinha recebido o mandamento poderia não dar certo, desse modo estrategicamente ele viu a possibilidade maior de ir primeiro na mulher agindo na sua mente para que através dela, Adão caísse no seu ardil.
2. Cuidado, Satanás sabe usar de habilidades  em contradizer a palavra de Deus.
Gênesis 3.2 – E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, Gênesis 3.3 – mas, do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Gênesis 3.4 – Então, a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis.
A condição de Satanás como o pai da mentira tem início nesse episódio quando ele habilmente procurou contradizer a palavra de Deus que é imutável através de uma mentira. A mentira é a arma mais usada por Satanás para induzir o homem ao erro gravíssimo da desobediência. Foi com mentira que Satanás conseguiu induzir a terça parte dos anjos a se aliarem com ele para uma tomada de poder no céu celestial. Nesse episódio todos esses anjos também caíram com ele, quando Deus os destituiu da sua glória passando a serem seres das trevas. Em nossos tempos a sua área de atuação mais intensa é na Igreja de Cristo e com todos os seus ardis tem conseguido grandes progressos nesse meio operando a multiplicação da iniquidade e com isso esfriando a fé de muitos.
3. Cuidado, Satanás consegue levar pessoas a terem atitudes de desobediência.
Gênesis 3.5 – Porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.
Satanás como o pai da mentira sabe conduzir com habilidade as pessoas à prática da desobediência a Deus. A sua estratégia mais usada é confundir a mente do indivíduo, o qual pode não lhe dar ouvidos e o derrotar com as armas espirituais que Deus provê, ou aceitar os suas sugestões e cair nas suas armadilhas. Todo cristão deve em todo tempo estar resguardado quanto as tentações, pois elas sempre tem um agente oculto trabalhando para que ela se concretize e, se isso acontecer a derrota é certa. Em momento algum não podemos ter uma fé vacilante diante de uma tentação, pois as decisões hesitantes certamente oferecerá vantagens ao tentador. Paulo disse: não ignoreis os seus ardis.
4. Cuidado, Satanás mostra o que parece bom para levar em direção ao pecado.
Gênesis 3.6 – E, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.
A habilidade de Satanás é levar a pessoa a fazer aquilo que não lhe é permitido e, nesse caso a mulher sabia que o que ele a induzia a fazer seria uma desobediência a uma ordem divina. É preciso entender que o desejo de comer o fruto foi um pecado oculto, mas o ato de comer do fruto foi um pecado explícito. Após Eva comer do fruto, mesmo sem ela ainda saber, a malignidade já havia entrado no seu coração, pois assim como Satanás, ela usou de persuasão para induzir Adão a comer do fruto.
5. Cuidado, Satanás sabe que quem cai na sua irá enfrentar uma dura realidade.
Gênesis 3.7 – Então, foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.
Concretizada a tentação vem o momento do cair em si e foi isso que aconteceu com o casal do Éden, quando as consequências da transgressão consumada dominaram os seus sentimentos, mas aí, já era tarde. Foi no momento que o pecado entrou na vida deles, que os seus olhos foram abertos para entenderem a grave transgressão que cometeram. Depois que fazem o ato de desobediência é que compreendem que é tarde demais e passam a enxergar a tolice que é desobedecer um mandamento de Deus. Para Adão acabou o governo que lhe foi dado por Deus e quem se apossou desse governo foi quem lhe derrotou, ou seja, o próprio Satanás. Aquele que está de pé cuide para que não caia.
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

A Queda do Ser Humano

Lição 7: A Queda do Ser Humano
Lições Bíblicas do 1° trimestre de 2020 – CPAD | Classe: Adultos
Texto Áureo“Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram.” (Rm 5.12)
Leitura Bíblica em ClasseGênesis 3.1-7
1 – Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?
2 – E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos,
3 – mas, do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais.
4 – Então, a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis.
5 – Porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.
6 – E, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.
7 – Então, foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.
Publicação no transcorrer da semana
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

A Sexualidade Humana

Lição 6: A Sexualidade Humana
Lições Bíblicas do 1° trimestre de 2020 – CPAD | Classe: Adultos
Texto Áureo: “Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que, no principio, o Criador os fez macho e fêmea e disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne?” (Mt 19.4,5)
Leitura Bíblica em Classe: Mateus 19.1-12

Introdução: Deus fez o homem macho, para ser macho sempre e a mulher fêmea, para ser fêmea sempre, assim foi no princípio e assim será para toda a eternidade, no contexto de reino terreno, que continuará pós arrebatamento da Igreja. Um homem e uma mulher, nada mais além disso, pois se Deus criasse mais de uma mulher para Adão, então haveria um precedente, mas ele fez só uma. Isso significa que o homem e a mulher formam um casal e essa situação conjugal é indissolúvel e o que Deus ajuntou o homem não pode separar.
1. Jesus pregou, curou muitos, mas entre eles, mentes mal intencionadas.
Mateus 19.1 – E aconteceu que, concluindo Jesus estes discursos, saiu da Galiléia e dirigiu-se aos confins da Judéia, além do Jordão. Mateus 19.2 – E seguiram-no muitas gentes e curou-as ali.
Jesus foi incansável na Sua missão evangelizadora, onde percorria grandes distâncias levando as boas novas da salvação, como também realizando curas em todos que se chegavam a Ele. Esse é um trabalho que incomoda o Diabo e sendo assim, ele sempre está arquitetando os seus planos malignos para perturbar um trabalho que envolve misericórdia e compaixão pelas almas perdidas. Entre as multidões que seguiam Jesus, havia também não só seguidores com boas intenções, mas também alguns seguidores com mal intenções. Quem trabalha com fidelidade na seara do Senhor, já está acostumado com esse tipo de gente e sabe como lidar com eles.
2. O repúdio a mulher só pode acontecer em caso de infidelidade conjugal.
Mateus 19.3 – Então, chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?
Os fariseus se julgavam os maiores conhecedores da lei mosaica e procuravam usar esse conhecimento para inferiorizar ou pegar em alguma falta os que pregavam e agiam em prol do reino de Deus. Os fariseus desprezavam Jesus porque Ele ia de encontro os seus falsos ensinos, como também expunha a sua vida enganosa, que exteriormente parecem homens santos, mas interiormente eram como sepulcros caiados. As intenções desses religiosos era testar Jesus e levá-lo ao descrédito perante a opinião pública e tornar a sua missão em fracasso. As intenções desses religiosos ao inquirirem o Senhor Jesus na questão do homem repudiar a sua mulher era na realidade colocá-lo numa situação sem saída diante da sua resposta a eles. Como Jesus pregava o amor; misericórdia; compaixão ao povo, eles entenderam que Ele iria contra o que dizia a lei sobre o adultério e neste caso o acusaram de ir contra esta lei, o que daria motivo para incriminá-lo e levá-lo a julgamento. 
3. É macho e fêmea e fêmea e macho, mudar isso é ir contra o Deus criador.
Mateus 19.4 – Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que, no principio, o Criador os fez macho e fêmea
Deus faz tudo perfeito e na questão da sexualidade, Ele criou macho e fêmea com a finalidade principal, que era a multiplicação da raça humana. Para isso foram criados com corpos adaptados para a geração de filhos, sendo que o homem para fecundar e a mulher para gerar. Mas para que os dois pudessem copular seria necessário que tivessem o desejo sexual, pois se não tivessem esse desejo, não iriam copular. Assim tendo os dois esse desejo a multiplicação da raça aconteceria e Deus permitiu que esse desejo continuasse para poderem manter relações também na sua vida continua, ao contrário dos animais que só copulam para gerar filhotes, fora disso não. Macho e fêmea é algo racional, fora disso é irracional e diabólico, pois Satanás sempre age para tornar imperfeito, o que Deus faz perfeito.
4. Os pais não podem fazer parte da união dos filhos que são uma só carne.
Mateus 19.5 – e disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne? Mateus 19.6- Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem.
A bíblia diz que o cordão de três dobras não se rompe entendendo que significa o casal e a presença de Cristo. Porém se o pai ou mãe, ou ambos querem fazer parte desse cordão é óbvio que não vai dar certo e nessa condição,o que tem tudo para ser um lar feliz passará a ser um transtorno. O casamento é o início de uma nova família, a qual será constituída dentro do planejamento do casal, sem a interferência de pai ou mãe, ou parentes. O casamento que sofre interferência dos pais está sujeito a confusões, discussões e certamente uma das partes, principalmente a mulher é que sofrerá as consequências. Deus na sua sabedoria já deixou esse conselho para que uma união que poderia ser feliz pode tornar-se uma infelicidade e sujeita ao fracasso e em alguns casos em separação. 
5. Moisés permitiu o divórcio, mas visava livrar a mulher do marido opressor.
Mateus 19.7 – Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la? Mateus 19.8 – Disse-lhes ele: Moisés, por causa da dureza do vosso coração, vos permitiu repudiar vossa mulher; mas, ao princípio, não foi assim.
As mulheres nos tempos do antigo testamento, quando Israel saiu do Egito, não eram tratadas pelos seus maridos como uma adjutora conforme a ordem divina. A maioria vivia num regime de semi escravidão e tratadas com rudeza pelos seus maridos, o que tornava a vida conjugal um tormento contínuo. Os fariseus inquiriram Jesus acerca do divórcio baseados no texto da lei em Deuteronômio 24.1 onde Moisés escreveu sobre essa questão, a qual erroneamente eles interpretavam para dar respaldo ao divórcio. Moisés diz se for encontrado coisa indecente na mulher, o homem poderia pedir o divórcio. Coisa indecente não era adultério, pois o adultério era penalizado com sentença de morte segundo a lei.  Nesse caso coisa indecente poderia ser interpretado como qualquer coisa que desagradasse o marido. Esse termo não foi definido por Jesus, mas deixou claro que a lei mosaica a respeito do divórcio era uma concessão e não uma prescrição. Na realidade os homens interpretavam a lei como uma prescrição e quando se cansaram de viver com a sua mulher, simplesmente usavam dessa prerrogativa para se divorciar deixando a mulher numa situação difícil de desamparo. Assim Moisés abriu essa concessão para que a mulher não ficasse no sofrimento atormentada e oprimida por um marido estúpido e cheio de ignorância. Eles não estavam interessados no padrão divino para o casamento que Deus tinha estabelecido desde a criação e queriam impor os seus próprio padrões achando que estavam de acordo com a lei mosaica.
6. O casamento é um compromisso de vida e só pode ser desfeito por traição.
Mateus 19.9 – Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.
Os fariseus achavam que iriam obter alguma vantagem sobre esta questão na conversa com Jesus imaginando que Ele daria o aval para que continuassem se divorciando a revelia. O que eles não imaginavam é que a situação não ficou fácil com eles queriam e, sim ficou mais estreita ainda quando Jesus disse que divórcio, só se houver adultério, fora disso nem pensar. O que Jesus determinou, mesmo sendo ainda no tempo da lei continua em pleno vigor, pois o apóstolo Paulo dá mais detalhes a respeito disso na carta aos Coríntios. Em nossos tempos isso não vem sendo observado por muitos cristãos e mais ainda, por líderes evangélicos. O que se tem visto nesta questão é fato e não especulação e isso tem provocado escândalos em nosso meio. Líderes estão se divorciando sem que houvesse motivo para isso, que seria o adultério e  fazendo isso como se fosse algo normal e não é, porque essa prática é condenável. O pior é que a igreja aceita ser pastoreada por esses tipos que não tem mais moral alguma para estar num púlpito.
7. Jesus veio colocar ordem na questão do divórcio para resguardar a mulher.
Mateus 19.10 – Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar. Mateus 19.11 – Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido. Mateus 19.12 – Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos por causa do Reino dos céus. Quem pode receber isso, que o receba.
Os fariseus hipócritas interpretando a lei segundo os seus interesses foram os grandes culpados pela proliferação do adultério, através de um divórcio que burlava e distorcia o que a lei intencionava nessa questão. Jesus deixou bem claro que o divórcio era permitido somente em caso de adultério e que a parte vitimada ficava livre para constituir um novo  casamento, a fim de que ele ou ela tivesse outra oportunidade de desfrutar novamente as bênçãos de uma nova convivência, que foram destruídas na relação anterior. No caso de uma casal que um seja crente e ou outro não a separação deve partir do incrédulo, independente se houve adultério, ou não; e nesse caso, ele ou ela fica livre para um novo casamento. O casamento que tem possibilidade de ser bem sucedido é o que vem de uma relação de amor e não de paixão. O amor a bíblia diz que as muitas águas não podem apagá-lo, mas o que se une por paixão é totalmente incerto, porque a paixão acaba com o tempo, mas o amor não. Paulo falou sobre o celibato, isso porque por força da sua condição, ele realmente tinha que estar solteiro para realizar a sua missão evangelizadora e instruiu a quem tinha essa vocação que vivessem dessa maneira, mas quem não continha os desejos sexuais, então que se casassem.  
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

A Unidade da Raça Humana

A Unidade da Raça Humana
Lição 5: 2 de Fevereiro de 2020
Texto Áureo: Malaquias 2.10 Não temos nós todos um mesmo Pai? Não nos criou um mesmo Deus? Por que agimos aleivosamente cada um contra seu irmão, profanando a aliança de nossos pais?
Leitura Bíblica em Classe: Atos 17.22-28
Introdução: A humanidade não surgiu por um processo evolutivo, como defende os adeptos da teoria da evolução, os quais não creem no criacionismo. O pecado após a queda do homem corrompeu a unidade estabelecida no princípio ficando impossível voltar a essa condição em relação a humanidade espalhada pelo mundo. Deus insistindo nessa unidade, não no sentido geral separou um povo para si transformando esse povo em uma nação, a qual seria uma nação santa e propriedade exclusiva dele. Por certo tempo na dinastia davídica, essa unidade prevaleceu até o reinado de Salomão, mas após a sua morte, essa unidade que mantinha o reinado forte, se dividiu e a nação se enfraqueceu, ao ponto de quase desaparecer. Essa condição só não aconteceu porque essa nação estava sob uma pacto de Deus com Abraão e ainda terão uma nova chance de voltar a unidade no reino milenar.  A condição de Israel voltar a unidade foi adiada motivada pela sua rebeldia e nesse caso, Deus passa a insistir na unidade chamando gente de todas as nações para se integrar ao corpo espiritual de Cristo. Esse corpo é a Igreja, a qual Ele é o cabeça e ao contrário de Israel que não preservou a unidade, a Igreja deve insistir nisso preservando com todo cuidado a sua pureza e desviando-se de toda imoralidade.
1. Deus não só pode ser conhecido, mas veja como Ele quer ser conhecido.
Atos 17.22 E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos; Atos 17.23 Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: ao deus desconhecido. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio.
É com perspicácia do Apóstolo Paulo é vista aqui, em defender a sua fé usando de muito cuidado e com muito conhecimento e sabedoria para falar a uma platéia composta de muitos filósofos pagãos. Era um povo muito religioso, mas com uma fé voltada ao paganismo e isso corrompia a sua religião cada vez mais. Os atenienses tinham uma pluralidade de deuses pagãos confeccionados na forma de estatuetas, sendo uma para cada necessidade. Mas, por precaução receosos de esquecer de algum Deus, fizeram um altar para o Deus desconhecido, que era uma forma de não serem castigados. Paulo mostra aos ouvintes que o Deus verdadeiro pode ser conhecido, mas usando a figura do altar que eles erigiram revela como Ele deve ser conhecido. Usando desse argumento, os atenienses não poderiam ficar ofendidos, porque Paulo professou a sua fé no Deus que eles não conheciam, mas que sem conhecer, eles adoravam. Para evangelizar é preciso ter muito conhecimento da palavra e, muita perspicácia para com quem vai ser evangelizado.
2. Deus não está longe de cada um de nós e, é o doador de tudo para nós.
Atos 17.24 O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; Atos 17.25 Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas;
O apóstolo Paulo fala com muita sabedoria a respeito do verdadeiro Deus e procura usar de revelações em lugar da filosofia estóica que enxerga deidades por outro ângulo de visão totalmente distorcido, sem qualquer entendimento sobre o criacionismo. Em contraste com o panteísmo estóico, ele ensina sobre o monoteísmo introduzindo Deus, o criador do mundo e de tudo que nele existe.  A argumentação de Paulo enfatiza a organização do universo e da criação ordeira que só pode existir dessa forma originada por um Deus pessoal e não por uma pluralidade de deidades. Assim Deus é anunciado pelo apóstolo com toda convicção, de que Ele é o único governante e sendo um Deus teísta, cuida de tudo o que Ele fez, inclusive naquele momento, que através do apóstolo estava cuidando de tirar a venda dos olhos daquela platéia para que enxergassem o que eles não conseguiam ver na sua ignorância. Quando Jesus disse para irem por todo o mundo pregar o evangelho, Ele estava falando com os discípulos que foram ensinados em todo o Seu ministério. Todos que Jesus deu o seu ide, estavam preparados para essa missão. Não é de qualquer maneira que se evangeliza.  Paulo só conseguiu algum sucesso em Atenas, porque tinha conhecimento.
3. Deus no Éden criou o homem para viver em unidade, e o pecado desuniu.
Atos 17.26 E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação;
Paulo na sua obra evangelizadora faz uma declaração na sua prédica sobre a unidade da raça humana, mostrando o desagrado divino pela fragmentação da unidade da raça humana, principalmente diante do preconceito racial, seja entre gregos e judeus, como entre povos brancos e negros. Deus no princípio ao criar o primeiro homem puro e perfeito, era para as suas gerações viverem em unidade, porém, Satanás que sempre age para arruinar as coisas de Deus conseguiu habilidosamente induzir o homem ao pecado. Essa falta de unidade se fragmentou de vez no episódio da Torre de Babel, quando Deus confundiu as línguas e raças que se dividiram para todos os cantos da terra. Deus separou um povo para ser sua propriedade exclusiva, os quais deveriam viver em unidade, mas não quiseram com o tempo se enquadrar nos padrões divinos. Dessa forma, Deus separou outro povo chamado igreja através da obra sacrificial do Seu Filho Jesus, para serem um povo unido, mas nem todos seguem esse padrão e prejudicam o crescimento do reino de Deus na terra.
4. Deus chama o pecador, mas por ignorância persistem em não atender.
Atos 17.27 Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós;
Deus por ser onipresente, nunca estará longe de cada um de nós, sendo que em todos os lugares está a Sua presença e tem  os seus olhos sobre nós a todo instante e nos conhece mais do que a nós mesmos. Em relação às multiplicidades de imagens confeccionadas representando divindades, o apóstolo procura mostrar aos ouvintes o absurdo e a inutilidade delas. Isso porque, Deus é Espírito e age em Espírito invisivelmente e por isso ninguém pode querer fazê-lo presente através de uma imagem. Acontece que a humanidade por pura ignorância e com uma mente cegada pelo deus deste século, o qual é Satanás, que consegue incutir em muitos a tolice de pensar que Deus o Ser divino seja semelhante às imagens de ouro ou prata feita pelos homens. Em qualquer lugar, Deus deve ser reverenciado, onde quer que estejamos, fora, ou dentro de templos, Ele é chegado a todos os que o invocam, ou adoram. Somente ao Senhor teu Deus adorarás  e importa que os Seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.5. Deus é a fonte de toda vida e dependemos dele todos os dias para viver.
Atos 17.28 Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.
Assim como a fauna; a flora e a natureza dependem de Deus, também nós muito mais devemos ter essa dependência, pois Ele é a fonte da nossa vida e a lonjura dos nossos dias.  Na sua conclusão evangelística, Paulo faz o anúncio para que houvesse entre aquela plateia um desejo consciencioso por libertação e deixassem os tempos de ignorância. O arrependimento é essencial para toda alma, pois haverá o dia que de uma forma súbita, Deus aplicará a Sua justiça para julgar o mundo e, sem arrependimento não há salvação; e sim o juízo eterno. Todos os pecadores serão julgados e destinados a condenação eterna e ninguém poderá escapar das suas mãos.
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

LUGARES ONDE O SITE É VISTO

LÍÇÕES DO 2° TRIMESTRE DE 2021 - Esboços e Comentários das Lições Bíblicas da CPAD

Sua Contribuição é muito bem-vinda. Quem semeia colhe.- PIX 997518304

Translate

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *