ADSENSE

Inscreva-se no meu canal

Sua Contribuição é muito bem-vinda. Quem semeia colhe.- PIX 997518304

LIÇÃO 02 - SAULO DE TARSO, O PERSEGUIDOR

 LIÇÃO 02 - SAULO DE TARSO, O PERSEGUIDOR

Texto Áureo: “E Saulo, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote.” (At 9.1)

Leitura Bíblica em Classe: Atos 8.1-3; 22.4,5; 26.9-11

Introdução: Perseguir a igreja é perseguir Jesus, pois Ele é o cabeça da igreja e Saulo como um homem zeloso imaginando que fazia o que era reto diante de Deus, na realidade fazia o que não era reto aos olhos de Deus. Ele não acreditava no Cristo crucificado e ressuscitado, pois de acordo com a lei, qualquer um que fosse pendurado no madeiro era considerado maldito. No seu entender, como Deus identificaria um falso profeta sendo o Messias. Ele considerava uma seita perigosa, e queria erradicá-la totalmente eliminando todos os que professavam a fé no Cristo vivo, que para ele era morto. Na estrada de Damasco com cartas de autorização dos sacerdotes e respirando furor, as coisas iam mudar totalmente na sua vida, quando aparece para ele numa luz brilhante e uma voz, a qual era do Cristo vivo. 


1. UM PERSEGUIDOR ZELOSO E IRREPREENSÍVEL NO TOCANTE A LEI. 
Atos 8.1 - E também Saulo consentiu na morte dele [Estevão]. E fez-se, naquele dia, uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judeia e da Samaria, exceto os apóstolos. Atos 8.2 - E uns varões piedosos foram enterrar Estevão e fizeram sobre ele grande pranto. Atos 8.3 - E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão.

Em relação à lei, a vida de Paulo era irrepreensível, sendo ainda jovem já fazia parte da seita dos fariseus, demonstrando com o seu zelo ser um defensor da torah. Seu zelo pela lei agradava os fariseus e os sacerdotes, e isso era observado na perseguição da igreja de uma forma cruenta e violenta que ele fazia. Na sua ignorância ao evangelho ele acreditava que o que fazia era um serviço prestado a Deus, ao perseguir os cristãos, e fazia isso com tranquilidade de consciência. A perseguição da igreja deu-se após a morte de Estevão por apedrejamento. Mas o porquê da perseguição imposta à igreja? No ide de Jesus, eles deveriam ficar em Jerusalém sendo doutrinados e preparados para seguir para a Judéia; Samaria e os confins da terra. Porém eles para se despertarem a sair de Jerusalém, da qual não estavam se preocupando em sair, a perseguição foi necessária porque a ordem de Jesus era propagar o evangelho por todo o mundo. 

2. SUA CONDUTA INICIAL FOI A DE PERSEGUIDOR ZELOSO DA IGREJA.

Atos 22.4 - Persegui este Caminho até a morte, prendendo e metendo em prisões, tanto homens como mulheres, Atos 22.5 - como também o sumo sacerdote me é testemunha, e todo o conselho dos anciãos; e, recebendo destes cartas para os irmãos, fui a Damasco, para trazer manietados para Jerusalém aqueles que ali estivessem, a fim de que fossem castigados.

Saulo agia contra a igreja como um animal feroz, tanto que no apedrejamento de Estevão, ele estava presente e deu consentimento, para a execução do servo de Deus simplesmente pelo fato de estar pregando o Evangelho de Cristo. Perseguia homens, mulheres invadindo casas, prendendo, açoitando e obrigando-os a renunciar a fé em Jesus, e se não negassem podiam ser mortos. Isso continuou até o encontro com Cristo na estrada de Damasco, onde pode ouvir a voz de Cristo, que disse a ele, porque me persegues Saulo. Foi quando de perseguidor ele se tornou perseguido. Paulo sabia muito bem como era o seu coração como perseguidor, mas agora como perseguido ele orava para que os seus perseguidores pudessem conhecer o seu próprio coração como um convertido. Foi no encontro que teve com Cristo, que o Senhor o fez conhecer, como ele diz: e quem era, então, eu para que pudesse resistir a Deus. A mudança na vida de Paulo não envolve qualquer ou motivo, pois mostrou ao sacerdote que tudo que aconteceu na sua vida foi obra de Deus.   

3. SUA CONVERSÃO EXTRAORDINÁRIA MUDOU TODA SUA TRAJETÓRIA.

Atos 26.9 - Bem tinha eu imaginado que contra o nome de Jesus, o Nazareno, devia eu praticar muitos atos, Atos 26.10 - o que também fiz em Jerusalém. E, havendo recebido poder dos principais dos sacerdotes, encerrei muitos dos santos nas prisões; e, quando os matavam, eu dava o meu voto contra eles. Atos 26.11 - E, castigando-os muitas vezes por todas as sinagogas, os obriguei a blasfemar. E, enfurecido demasiadamente contra eles, até nas cidades estranhas os persegui.

Uma multidão ouvia em silêncio o testemunho de Paulo e com toda convicção declarou que Jesus Cristo estava vivo e não morto como foi propagado ardilosamente pelos sacerdotes do templo. Paulo viu a sua glória e ouviu sua voz no seu encontro com Cristo na estrada de Damasco. Embora o povo ouvia o seu testemunho, a posição dos judeus em relação ao seu discurso é de que Jesus era um impostor que foi crucificado e cujo corpo foi roubado do túmulo por seus discípulos. Assim como ninguém conseguiria convencer Paulo de que Cristo era vivo, também da mesma forma os judeus não seriam convencidos disso sem ter um encontro com o Cristo vivo, como assim Paulo, o teve. É só quando se tem um encontro com Cristo, pois é nesse momento que alguém pode mudar inteiramente a sua maneira de pensar, através do arrependimento, quando o Senhor passa a estar na sua vida. O zelo religioso de Paulo, o fazia agir numa espécie de loucura, pois agia contra os cristãos, totalmente enfurecido, não poupando nem as mulheres. Ele não escondeu o seu passado, porque ninguém consegue apagar o seu passado, mas tudo isso ele usou como testemunho, para mostrar a todos que Cristo muda qualquer tipo de coração. 

Comentário elaborado exclusivamente pelo texto bíblico da lição.
Pastor Adilson Guilhermel

OS LUGARES PONTILHADOS NESTE MAPA MUNDIAL INDICA ONDE O SITE É VISITADO

Translate

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Páginas