Escola Dominical - Esboços da EBD

   Home       Agenda       EBD       Sermões       Contato

EBD - Comentários de lições Bíblicas
Pastor Adilson Guilhermel

Lições Bíblicas Professor, 3° Trimestre de 2019, Adultos – CPAD
Título: Tempo, Bens e Talentos
Subtítulo: Sendo Mordomo fiel e prudente com as coisas que Deus nos tem dado.

Lição 10 - A Mordomia das Finanças
Texto Áureo:
"Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores." (I Tm 6.10)
Leitura Bíblica em Classe:
Eclesiastes 5.10,11; 1 Timóteo 6.6-10. 

Introdução: Quase todos os males procedem do amor ao dinheiro, pois esse amor ao dinheiro é uma das poderosas forças destruidoras, que quando alguém consegue ter, não tem o equilíbrio suficiente para administrá-lo com prudência. Quem não tem esse equilíbrio e acaba colocando o seu coração no que possui abrirá um caminho para vários tipos de males, com possibilidade de acabar mergulhando numa ruína profunda. Quantos crentes que no decorrer do tempo conseguem uma prosperidade elevada acabam desviando da fé caindo em uma armadilha, a qual pode se tornar um caminho sem volta.
1. Quem se apega a bens materiais se priva das bênçãos que Deus reserva.

Eclesiastes 5.10 - O que amar o dinheiro nunca se fartará de dinheiro; e quem amar a abundância nunca se fartará da renda; também isso é vaidade.

Jesus disse que a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui. O dinheiro pode proporcionar uma vida confortável no sentido físico, mas jamais no sentido espiritual. Tudo que é físico é passageiro e o cristão mais do que nunca deve saber disso, pois Jesus disse para não ajuntarmos tesouros na terra onde a traça e a ferrugem consomem, mas ajuntais tesouros no céu onde eles permanecem. A bíblia diz que onde está o nosso tesouro também está o nosso coração e isso significa, ou tem uma vida carnal, ou uma vida espiritual. A maior bênção de Deus que está reservada para nós é a vida eterna com Ele. (Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Marcos 8:36).

2. Quem adquire grandes riquezas nunca atingirá o aprazimento completo.

Eclesiastes 5.11 - Onde a fazenda se multiplica, aí se multiplicam também os que a comem; que mais proveito, pois, têm os seus donos do que a verem com os seus olhos?

Quanto mais os homens possuem, mas cuidado eles têm com isso, o que pode causar sintomas de perturbações no seu repouso, pois não conseguirá manter uma vida tranquila. Quem obtém mais e mais bens materiais, também enfrentarão os contrapontos com pessoas que vão invejar e desejar ficar com aquilo que ele tem. Muitos vão se aproximar por puro interesse, até aqueles que sempre o evitaram, isso tanto no meio da parentela, como pessoas alheias a ela. Embora alguém consiga obter muito dinheiro também se envolverá em muitas despesas, mais ainda do que quando era pobre. (Os pobres são evitados até por seus vizinhos, mas os amigos dos ricos são muitos. Provérbios 14:20).

3. Quem mantem deveres com Deus em toda situação é um grande ganho.

1 Timóteo 6.6 - Mas é grande ganho a piedade com contentamento.

O pouco que o homem bom possui é melhor que as riquezas do ímpio, pois mesmo sendo pobre tem algo muito melhor, que é ser rico em espírito e isso não tem preço. Não há virtude alguma em ser pobre, isso porque alguns não suportam viver numa situação de dificuldade e parte para alcançar o que não tem através de coisas ilícitas. A virtude é que mesmo com o pouco que tem de possessões materiais, ele se mantem íntegro no temor ao Senhor. Assim ele se sente rico no sentido espiritual, e nunca será pervertido por causa da sua pobreza. Vale mais o pouco que tem o justo, do que as riquezas de muitos ímpios. (Salmos 37:16 - Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Filipenses 4:11).

4. Quem se absorve naquilo que possui esquece que o tempo aqui é breve.

1 Timóteo 6.7 - Porque nada trouxemos para este mundo e manifesto é que nada podemos levar dele.

Como ninguém pode levar nada consigo na ocasião da sua morte, tudo o que conseguiu com longos tempos dispendiosos em angariar riquezas, na realidade nada ganhou com a vida no mundo, pois todo o fruto dos seus labores ficou nesta terra. Todo o indivíduo deve refletir que existe uma vida além-túmulo que não pode ser vista, mas que é uma grande realidade. Na morte tudo se reduz a nada para quem parte, pois no momento que morre deixa de existir nesse mundo geográfico partindo para o mundo do além. Sendo que tem um mundo nas profundezas da terra para onde vão  todos os perdidos, onde ficarão aguardando o juízo final para serem julgados e lançados no lugar de tormento eterno. Agora para quem cuidou da sua alma existe o outro além que é o reino dos céus, onde todos os sofrimentos acabam por toda eternidade. (Como saiu do ventre de sua mãe, assim nu tornará, indo-se como veio; e nada tomará do seu trabalho, que possa levar na sua mão. Eclesiastes 5:15).

5. Quem tem desejos não insaciáveis, sabe se alegrar com o pouco que tem.

1 Timóteo 6.8 - Tendo, porém, sustento e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.

O importante para a nossa vida pessoal é o desenvolvimento da integridade e a espiritualidade sempre livre das corrupções que as riquezas podem promover. Tendo o dinheiro suficiente para o nosso sustento e compromissos é o que basta, pois isso pode evitar cair nas armadilhas que as riquezas trazem para quem não tem equilíbrio para administrar. Precisamos buscar a moderação nas privações quando não temos o suficiente e para quem tem mais do que suficiente deve-se evitar os excessos das riquezas. (Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção de costume; Provérbios 30:8).

6. Quem é tentado pela riqueza se submergem aos riscos da perdição eterna.

1 Timóteo 6.9 - Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.

Na conquista de Jericó, todos os pertences obtidos deveriam ser consagrados ao Senhor, mas Acã, não resistiu a tentação de pegar e ocultar objetos para sí. A sua atitude provocou a ira do Senhor sobre todo o Israel, até que o ladrão se manifestasse e confessasse o seu delito. Disse Acã em sua confissão, que viu, cobiçou e tomou, o que teve um custo tremendo para outras pessoas. Ninguém é proibido de ter as coisas, mas que as tenha honestamente, pois fazendo assim é do agrado de Deus.
E respondeu Acã a Josué, e disse: Verdadeiramente pequei contra o Senhor Deus de Israel, e fiz assim e assim. Josué 7:20

7. Quem junta recursos moderadamente é justo, o que não pode é amar isso.

1 Timóteo 6.10 - Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

A avidez por riquezas tem sido a causa de inumeráveis consequências ruins, como por exemplo, os desvios da fé, pois as ações que envolvem cobiça têm levado muitos a sofrer tormentos na sua caminhada. Demas que seguia com Paulo em missões renunciou ao seu primeiro amor por Cristo, se iludindo com o mundo, se separando do apóstolo por causa de negócios terrenos. (Porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para Tessalônica, Crescente para Galácia, Tito para Dalmácia. 2 Timóteo 4:10).


Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel